sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

"Investimento em educação vai quebrar o Brasil"

                                           Guido Matega

A Câmara Federal aprovou, em 26/06/2012, por unanimidade - e agora a matéria está sendo analisada no Senado - o Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê, entre outras metas educacionais, investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação, a ser alcançado no prazo de dez anos. O texto aprovado determina que sejam ampliados os atuais recursos de 05,1% do PIB para 07% no prazo de cinco anos até atingir os 10% ao fim da vigência do plano.
O ministro da Fazenda, Guido Mantega (foto acima), criticou as medidas aprovadas pelo Congresso. "Isso coloca em risco as contas públicas. Isso vai quebrar o Estado brasileiro", disse durante o Seminário Econômico Fiesp-Lide, em São Paulo. Explicou o ministro que o país caminha em 2012 para um dos menores déficits fiscais de toda a série histórica, em torno de 1,4% do PIB, bem como que "É com solidez fiscal que se abre espaço para reduzir os juros. Nossa dívida líquida em 35% do PIB é a menor de todos os tempos. Nossa situação fiscal é bastante sólida".
Causa perplexidade a forma como o ministro Guido Mantega trata a educação no Brasil, quando deveria ser a primeira preocupação dos governos. Investimento em educação não se mede como gastos, senhor ministro. A preocupação com a educação deveria ser um projeto de curto, médio e longo prazo de qualquer governo nacional e a principal prioridade das plataformas governamentais. E o Congresso Nacional está muito certo em aprovar medidas positivas direcionadas ao fortalecimento de nossa educação.
Não se constrói nem se reedifica uma nação sem investimento maciço na educação e cultura de seu povo. O Brasil tem uma dívida com a sua educação que precisa ser purgada não com retóricas ou tergiversações, mas com medidas efetivas que possam responsabilizar qualquer governo.
Ora bolas, que risco poderá comprometer a nossa solidez fiscal com a canalização de recursos para o fortalecimento da escola que irá produzir os alicerces de nossa estrutura social, financeira, econômica etc.? O país poderá quebrar por outras razões, mas não por investimentos educacionais.
Quanto se gasta inutilmente com a manutenção ostentosa dos Três Poderes, em Brasília: salários fabulosos, mordomias, privilégios e tudo o mais? Não se vê do governo federal uma prestação de contas à sociedade do que é arrecadado e onde o dinheiro está sendo aplicado. Por exemplo, não existe no plano federal um índice único de reajuste salarial nos Três Poderes. Por quê? A Constituição Federal no Art.37-X determina uniformidade de índice de reajuste salarial. Agora mesmo os servidores sem concurso dos gabinetes de deputados federais foram reajustados em 30%.
Se o Congresso, acossado pelas críticas sociais, não fizer a sua parte tornando o Plano Nacional de Educação mais consentâneo com as necessidades educacionais, quando o governo tomaria medidas realistas, se ele está mais preocupado em vender a imagem de um Brasil robusto, de solidez fiscal, etc., enquanto graves problemas sociais e educacionais não são combatidos com a competência devida? Não adianta apresentar o doente todo maquiado de cor saudável se o seu organismo não está funcionando bem.
Texto publicado no Jornal Grito Cidadão

17 comentários:

  1. "Investimento em educação vai quebrar o Brasil". Olha o naipe dos nossos políticos. Duvido que algum politico do estrangeiro fale isso em publico. Em alguns países ele apanharia na rua e em outros ele seria ridicularizado por anos, quem sabe ate encerraria sua carreira politica... mas no brasil (com b minusculo mesmo) essas coisas passam despercebidas.

    ResponderExcluir
  2. Esse país é ridículo, com um bando de hipócritas que votam nesses fdp's, pior ainda aparecem milhões de ignorantes para defender a ideia de um idiota desses, lamentável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O país não é ridículo, e sim seus governantes! Respeite sua pátria, ame o chão em que mora, lute por dignidade na política!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. este cara e um bosta se o Brasil investice na educaçao aos 10% a 20 anos atras hoje talves o BRasil seria um pais de primeiro mundo mais e uma pena que temos governantes que so pensao neles mesmos ,pergunta pra um cara deste se ele estudo em escola publica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo seu português, o Brasil precisa mesmo investir em educação, viu ?

      Excluir
  5. E um "distinto cidadão" e certamente "honestíssimo" ministro e político desses, certamente se um dia vir a deixar o cargo tão parcamente remunerado, e vir a concorrer a algum cargo político, talvez até à presidência dessa nossa tão bem administrada República, com certeza será eleito com record de votos. Ainda mais que terá todo o apoio desse governo que aí está!

    ResponderExcluir
  6. Enquanto isso, eles duplicam o salário.

    E o povo ainda chama esses caras de heróis da pátria porque são "vitimizados pela mídia golpista que acoberta a privataria tucana".

    E solidez fiscal é o caralho! Esses ladrõezinhos de merda só pensam apenas em seus bolsos. Por causa de um povo despolitizado e desinteressado que filhos da puta como aquele ex-arrombador de banco do genoíno são condenados e ainda podem fazer as leis que quiserem.

    Estatistas são um atraso, eles só trazem desgraça e roubo.

    ResponderExcluir
  7. Esse Governador é um verdadeiro babaca, Nunca que investir na Educação vai quebrar o Brasil, é uma vergonha ler esses argumentos citados por esse governador. O certo é colocar o Governador E o filho dele na escola pública pra verem se a Educação é boa! só assim vão dar valor ao Ensino público, Bando de porcos!

    ResponderExcluir
  8. " Dia 01-01-2013, dia em que a maioria dos eleitos tomam posse em seus cargos,entra um novo ano, novos políticos e uma nova expectativa, mas no final continua a mesma coisa,o povo acha que elegeu seus governantes para representa-los no congresso, seria isso o correto, mas na verdade os governantes que elegemos com o nosso voto, estão no congresso para representar unicamente os interesses das grandes corporações privadas, grandes industrias alimentícias, grandes industrias do petróleo, grandes bancos, hoje em dia a cifra de negócios de uma empresa como a exon mobil é maior do que o pib de países como a Austría e Dinamarca, ai você percebe que algumas instituições privadas tem muita influencia nos governos, 52% do produto bruto mundial estão nas mãos de empresas privadas, o mundo não é governado pelos políticos e sim pelas grandes corporações.Cabe ao povo nesse novo ano lutar mais pelos seus direitos e se concientizar de sua importância na sociedade, se isso não acontecer o ano de 2013 e os próximos anos serão apenas expectativas de melhora mas nunca irá melhorar."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa observacao.O que se espera quando a maioria nao é politizado;Quando a expressao que investimento em educacao quebra o Brasil vem de um alto representnte nao
      é estranho que muitas critícas de expressoes vulgares estao no mesmo nivél de seu representante.

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Q ridículo... o q quebra o Brasil é a corupção vista a olho nu sem nenhuma punição, altos salários desses idiotas, q só sabem roubar e deixar o Brasil nessa calamidade!!

    ResponderExcluir
  11. investimento em educação né....sei....o investimento para a copa do mundo não vai ter prejuizo nem um né? ok.... =x #Brasil

    ResponderExcluir
  12. Para O Brasil existe apenas uma solução.. REVOLUÇÃO!!! Essa situação, se continuar do jeito que vai, talvez nunca mude.

    ResponderExcluir
  13. Acredito que nao precisar tomar drastícas médidas "REVOLUCAO" para mudar.Como também nao é só o presidente que pode mudar,o grande problema é que o povo nao é politizado,e muitos nao se engajam e espera maná do céu.A intensao de manter o analfabetismo é enorme,essa boa maneira de ter controle sôbre a massa. Um pais sem estruturas só leva isso a pior.Muitas opinioes que se ler sao superfíciais,uma linguage,Deus me acude.Vai levar um tempao...triste mas é verdade!

    ResponderExcluir