quarta-feira, 12 de junho de 2013

O “Esquenta”, de Regina Casé, é o programa mais racista da TV?

Ela envia uma mensagem retrógrada com seus estereótipos dos negros.
Ela
Ela
O Esquenta é o programa mais conservador da televisão brasileira. É uma versão barulhenta e colorida de velhos costumes. Num primeiro olhar, parece uma grande festa na periferia, na qual as gírias, danças e modas de regiões com IDH baixo e criminalidade alta são irradiadas para todo o país pela tevê.
Vemos meninos contorcendo as articulações em performances de passinho, meninas com minissaia e microvocabulário, rapazes negros com cabelos louros e óculos espelhados de cores berrantes rodando o salão felizes e eufóricos. A festa mistura samba, funk, estilo de vida despreocupado e despudorado, concurso de beleza, humor, artistas de novela, enfim, para usar um termo bem periférico, “tudo junto e misturado”.
Essas características, apenas, não me incomodam. Não sou quadrado, respeito e até admiro algumas formas de cultura vindas do gueto e abuso do direito de desligar a TV. O que me irrita, e muito, e faz com que chame o programa de conservador e escravocrata é a cor de pele predominante nessa festa maluca.
Certamente o Esquenta é o programa com o maior percentual de negros da TV aberta. Enquanto as novelas, seriados e telejornais são predominantemente caucasianos, quem manda ali são os negros e pardos.
É esse o ponto. O programa reforça o estereótipo dos negros brasileiros como indivíduos suburbanos, subempregados, mas ainda assim felizes, sempre com um sorriso no rosto, esquecendo-se das mazelas cotidianas por meio da dança, do remelexo, das rimas pobres do funk, do mau gosto de penteados e cortes de cabelo extravagantes.
Sou negro e não sei sambar, não pinto meu cabelo de louro, não uso cordões, não ando gingando nem falo em dialeto. Não sou exceção, felizmente. Sei que há muitos caras e moças como eu. Muitos são poliglotas, outros gostam de música clássica, vários gostam mais de livros do que de pessoas, outros reclamam do calor da Brasil, certamente há os que são introspectivos e de poucas palavras, e há os que nem sentem falta do feijão quando viajam para o exterior.
Embora o Esquenta não tenha a proposta de ser um programa sobre cultura negra, ele ajuda a construir um estereótipo. Por que as novelas não têm galãs negros ou musas negras? Faça a lista dos galãs e das musas televisivas e depois veja quantos são negros. O número será irrisório.
O Esquenta ajuda a manter essa ordem. Em vez de rapazes elegantes, mostra dançarinos com cabelos bizarros. As moças, sempre de shorts minúsculos e prosódias vulgares, nunca serviriam de modelo para capas da Marie Claire ou da Claudia.
Regina Casé e seu programa parecem dizer aos jovens dos guetos: “Ei, isso mesmo, aprendam passinho, aprendam a rebolar até o chão, continuem com seu linguajar próprio, porque tudo isso é lindo, é legal, é Brasil, é tudo junto e misturado, continuem com seus empregos modestos, porque a vida é agora, é para ser vivida, curtida, com alegria, malemolência, sempre com um sorriso no rosto”.
E assim, aquela menina sentada no sofá vai continuar achando o máximo desfilar com pouca roupa e pelos das pernas pintados de loiros pela comunidade. Nunca vai pensar em aprender a falar alemão ou tentar entender os grafites de Banksy, da mesma forma que os rapazes nunca sonharão em trabalhar no Itamaraty e praticarão bullying contra os meninos polidos que não falam em dialeto e inventam de estudar violino, já que um programa televisivo de uma das principais emissoras do país legitima seu estilo de vida mal educado e de poucas perspectivas.
Como um coronel oligarca e cínico, o programa dá uma recado para a garotada negra e parda da periferia: “É isso, dancem, cantem, divirtam-se. Mas não saiam do seu lugar”.
Marcos Sacramento
No DCM 

FONTE: http://contextolivre.blogspot.com.br

135 comentários:

  1. A globo é um mar de preconceito, tanto com negros, quanto pra nordestinos e afins, minha mãe é nordestina e nem por isso vive falando bixinha, oxente e ai vai... a globo gosta de rotular tudo e alienar tudo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, tambem sou nordestino(Cearense)e não falo essas palavras e sobre o negro a globo generaliza mais ainda...

      Excluir
    2. Pra mim é indiferente... detesto favelado mesmo!

      Excluir
    3. Sou de São Luís, Maranhão e não falo como a globo demonstra. Rótulos, steriótipos...

      Não deteste o favelado, deteste as condições que os impõe a permanecer assim.

      Excluir
    4. Não detesto favelado, mas q a maioria é vadio, isso é, fogem de um trabalho como o diabo da cruz.

      Excluir
    5. Papo Reto kkkkkkk tá mais pra Reto Roto kkkkkkk. Na verdade favelado são os escrotos da cultura como ele. Porque detestar favelados é estar irado com alguma coisa. Deve ser o reto dele que está roto KKKKK

      Excluir
    6. Chamar alguém de favelado, já é muito preconceito, e outra a maioria que mora na favela não é vadio, pois são os "favelados" que trabalham no que vc não quer fazer.

      Excluir
    7. concordo com a Vandreza,trabalho duro ficou para os menos favorecidos,porque justamente por não terem a oportunidade de ter boas condições financeiras,de moradia e educação,se propõem em trabalhar ou fazer algo para conseguir boa posição na sociedade,enquanto que aqueles que odeiam favelados estão sentados em suas casas porque já têm tudo de mão beijada e não fazeram nenhum esforço para consegui_lo!

      Excluir
    8. Marcos Sacramento matou a pau, ninguem é igual a ninguem, cada pessoa é um universo particular.
      Esse programa é igual a a regina cazé, controverso e contraditorio igual a apresentadora, mas..."cada um com seu cada um".

      Excluir
    9. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    10. E qual é o problema de falar ''oxente'', ''bichinha'' ? Sou nordestina, e falo sim essas palavras... quando eu era pequena via muitos jovens e adultos (nordestinos) falando que era feio falar assim e blablabla, quando eu tinha 14 anos comecei a falar oxente, oxii.... Me perguntava ''não posso falar assim?'' os próprios nordestinos tem vergonha... aaah fala sério ! Sinceramente eu não entendo como muita gente não percebe que nosso país é diversificado, culturalmente falando, cada região tem uma diferença extraordinária para com a outra, não custa nada respeitar... Infelizmente, isso só deixa bem claro que tipo de povo é esse ''os brasileiros''.

      Excluir
    11. o problema não é falar do dialeto dos nordestios, é espalhar que eles são vagabundos e baderneiros, que é oq a globo faz

      Excluir
    12. Isso é uma questão de cultura regional... não tem nada ver gente o que vcs estão falando... A maioria predominante no programa são negros pq a maioria da classe pobre é negra! E o programa é voltado pra essa maioria. Querem mostrar a música a cultura o linguajar dessa gente de forma positiva. Estão querendo retratar a favela do RJ. (que muita gente não conhece) E essas pessoas são assim, as meninas andam quase peladas, os meninos acham bonito pintar o cabelo de loiro etc. Vc Marcos Sacramento é quem está com preconceito.. Quer esconder a realidade?? Antes de criticar o programa, critique as autoridades por liberar músicas ofensivas,vestes curtas, liberdade de expressão.. Que voltemos a ditadura! Exitem muitos negros cultos sim! como existem muitos "brancos" ignorantes. Se a maioria dos negros da favela fossem cultos, estudados e estudasse música clássica, com certeza esse programa não existiria!

      Excluir
  2. “É isso, dancem, cantem, divirtam-se. Mas não saiam do seu lugar”.

    Tudo depende do ponto de vista!!! Discordo em algumas questões do texto, mas de um modo rude, pode ser isso. Não creio que o programa crie estereótipos, mas sim, TENTA, eu disse, TENTA mostrar o lado ""descolado"" da favela, o lado feliz de ser o tal, Suburbano!
    Utilizando a sua moda seus óculos espelhados, penteados diferentes, gírias, modo de falar.. É claro que nem toda pessoa da periferia utiliza essa tal moda, mas isso é uma realidade!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Vc. não pode estar falando sério!! Nas décadas de 70 e 80, as pessoas da periferia, nem sequer existiam para as redes de televisão e seu "modo de vida" passava longe, muito longe das telas das TV's. Agora, com o ampliamento da classe C, que trouxe em seu bojo, nos últimos 10 anos de estabilidade e prosperidade, as periferias do país e descobriu-se um novo filão de consumidores, ávidos por verem seus pares e congêneres em destaque, a Globo e seus comparsas, simplesmente CRIAM uma realidade e demonstram como vivem?? Isso nem sequer representa um terço das pessoas que lá vivem, destinando-se apenas e tão somente a um juventude totalmente abandonada pelo estado, sem formação e sem esperança, a não ser continuar servindo na casa grande.

      Excluir
    3. Por isto a crítica do autor do texto. Entendeu?!

      Excluir
  3. Infelizmente, tem pessoas que adoram se apegar a este estereótipo cretino de samba e futebol. Acham que um programa assim é sinal que foi conquistado um espaço, quando na verdade alimentam ainda mais o preconceito e a desinformação. O funk, o sambinha mela-cueca, o sertanejo tão ai justamente para alienar o morador da periferia.

    ResponderExcluir
  4. Falou demais, concordo com todas as palavras desta postagem. É verdade, esse programa faz apenas ajudar a afundar a cultura de massa do nosso país.

    ResponderExcluir
  5. Nossa isso foi extremamente admirável!!! É esse intuito mesmo que o programa tem, só não entendo pq ainda tem gente que pensa que não pode melhorar ou até nos rotula de "metidos" por querer melhorar, e nos chamando assim são eles mesmo que se colocam para baixo!

    ResponderExcluir
  6. Por invcrivel que pareca eu sou negro e falo alemao ;) Gosto muito de livro de preferencia de biografia de sucesso caso Samuel Klein e outros e empreendedorismo.
    Concordo com o texto por que isso acaba gerando uma estagnacao da massa que ainda nao tem base suficiente pra saber o que quer da vida e muito menos alguem pra orientar.

    ResponderExcluir
  7. Preto é tudo igual. Onde quer que eu os vejo, eles sempre vestem as mesmas roupas estranhas, uns penteados esquisitos e músicas escrotas. O autor dessa postagem pode até ser diferente, mas seria uma excessão à regra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Racista,seja queimado no inferno seu nazista!!!!

      Excluir
    2. Você é que não é exceção dos racistas (infelizmente)

      Excluir
    3. nossa... isso é brincadeira né??!!!

      Excluir
    4. E o sr Julio Cesar, é descendente de dinamarqueses?! Jura q não existe NENHUM traço da raça NEGRA na sua família?!
      Q Deus o abençoe e o perdoe.

      Excluir
    5. Gente, eu fico impressionada com a ignorância de certas pessoas, Julio Cesar pelo jeito você fica muito tempo trancado em casa ne? Afinal não sabe muito das coisas... E nojento assim, com certeza não deve ter muitos amigos! Você não tem vergonha desse seu racismo? Que dó de você... Realmente, tenho muita dó.

      Excluir
    6. kkkkkkkkkkkkkkk Negros é suas Negrises

      Excluir
    7. Julio Cesar fala que preto é tudo igual e sempre vestem as mesmas roupas e usam o mesmo penteado.
      Engraçado que ele deve agir, se portar e se vestir de uma maneira que seja aceita pela sociedade, e considerando isso, se veste da mesma forma que as outras pessoas se vestem, provavelmente com roupas semelhantes ou iguais as de muitas pessoas, a não ser que ele mande confeccionar sua própria roupa.
      E deve ser tão solitário que tem que agredir as pessoas pra chamar atenção!!!

      Excluir
    8. Ta bom de da uma melhorada nesse blog, tipo da a opção do usuário denunciar uma postagens racistas criada por indivíduos imundos e mal criados que provavelmente não respeita nem mesmo a própria mãe... Oo

      Excluir
    9. O senhor Júlio Cesar é um infeliz, julga as pessoas pela aparência quando a hipocrisia é sua única máscara. Se as pessoa desejam ser felizes alternando entre livros, penteados ou acessórios, que sejam! É melhor do que passar a vida inteira sendo enclausurado pelas regra ditadas por individualistas como o senhor Júlio.

      Excluir
    10. Vc é um bosta como MUITOS brancos são (e eu sou branca...). A questao nao é cor e sim caráter.. enfim, falando assim, vc só se assemelha a pessoas baixas e racistas, nada mais. PENA de vc. Infeliz!

      Excluir
    11. Só peço a DEUS que te perdoe.

      Excluir
    12. Julio Cesar, você é o resultado dessa educação falha e dessa sociedade racista e ignorante ainda resquício da ditadura e no nazi-facismo. Você é uma vergonha não só aos caucasianos que eu suponho que você seja, mas a raça humana.

      Excluir
    13. Parabens Francine Fulquini....... Idiota esse meu INFELIZMENTE Xará

      Excluir
    14. e aí ser Anderson luiz, quer dizer que para vc todo brasileiro tem que ter algum traço de negro para não ser racista? Bem, minha milha é mestiça e sou branco, por que vc não fala de traços de branco? Meio racista seu comentário...

      Excluir
  8. Vocês reclamam que a televisão é racista, mas quando mostra os pretos como realmente são acham ruim. Preto é Esquenta mesmo, é a realidade! O autor da postagem que está sendo racista ao querer que mostre o negro diferente do que ele é. Qual o problema de mostrar favela? Não gosta de favela não? kkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai tomar no seu cú racista fdp!

      Excluir
    2. Concordo Julio, um texto preconceituoso e com um argumento fraco.

      Excluir
    3. Racistas e covardes, queria pegar um elemento desse na rua... não sobraria um dente pra conta historia

      Excluir
    4. coitado esse é o mais favelado e pobre de todos, a maior pobreza do ser humano é espiritual.

      Excluir
    5. Pessoal não batam boca com esse tipo façam como eu fiz denunciem a postagem dele na policia federal segue o link http://nightangel.dpf.gov.br a postagem desse tal de Julio já está e como ele usou a conta do google ficam mais fácil indentifidcar

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  9. Bel Rodrigues
    pelo amor de Deus ne Rede Esgoto de televisão, preconceituoso é o seu texto. Você que se diz que é negro e se envergonha das duas próprias raízes. Vá lavar a sua alma porque o preconceito esta na sua forma de abrir a boca e a mente pra dizer coisas e ridicularizar a cultura de pessoas de todo o tipo, cultura, religião, classe social etc...se isto te incomoda, se esse Brasil te incomoda arruma as malas e vai morar no exterior pq pelo visto a cultura de lá, como você diz, é bem superior a nossa. Vá lá babar a cultura deles ;) Em relação a melhorar ou do programa disseminar o comodismo cultural, para que as pessoas não queiram melhorar socialmente, cabe a cada um lutar por seus objetivos. Cada indivíduo tem a sua missão d vida e não é um programa que mostre a realidade da periferia vai diminuir a expectativa do cidadão brasileiro de querer crescer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo e discordo. Que raízes são essas?? Ele foi muito preconceituoso sim, pq ficou explicito que considera inferior quem se veste ou age de determinada maneira. Mas isso não é ter vergonha de raiz nem nada. Não gosto do programa pq pra mim é a celebração da mediocridade, hipocrisia purinha. A casé se mostra ali de uma maneira surreal. O pânico na band no geral tem um péssimo gosto pra piadas, mas devo dizer que eles acertaram no quadro que fizeram sobre o programa. Assista a abertura que eles prepararam

      Excluir
    2. Me responda uma coisa. Morar em favela é cultura? Até onde sei, as pessoas não moram lá porque querem, e sim porque é onde o salário de fome que recebem lhes permitem ter uma casa. Isso é fato e eu já testemunhei: quando um morador da favela consegue uma situação financeira melhor, a primeira coisa que faz é se mandar dali. Nem estou falando em cor de pele. Quem mora em favela sabe que lá não tem só negro e pardo. Então não me venha com esse papo que favela é cultura.

      Excluir
    3. Mto pontual a sua colocaçao Unknown. O q mtas pessoas nao entendem eh q a sociedade tanto brasileira qto mundial, eh composta por seres em estagioa de evoluçao intelectual, espiritual e filosofica diferentes. E independente do estagio evolutivo de cada um, eh conferido a todos os mesmos direitos. E um desses direitos e a tao falada "Liberdade de expressao. O programa da Regina Caser eh direcionada a um publico, assim como o da Ana Maria eh direcionado a um outro publico, e assim acontece c todos os programas da grade de cada emissora. Cada um seleciona o q vai assisti de acordo c seu grau evolutivo. acho desnecessario fazer criticas a esse ou akele programa pq nao atende nossas necessidades culturais, nem taopouco devemos impor uma Ditadura Cultural e esperah ki todas as pessoas curta ou assista akilo q gostamos ou keremos. Pintar o cabelo de louro, usar oculos espelhado e vesti roupas coloridas nao deixa de ser uma forma de liberdade de expressao, e devemos respeitah isso.

      Excluir
    4. Marcio Brito dentre tantas considerações resolvi responder a sua por compactuar com sua linha de pensamento e também pelo fato de achar muito importante o que você cita em relação ao respeito que devemos ter para com as pessoas. Penso que é isso mesmo, acima de tudo é o respeito ou a falta dele que impedem que a humanidade cresça enquanto essência. parece-me também que as pessoas compram televisão sem controle remoto. Eu utilizo bastante o meu. Quando um programa não atende as minhas expectativas eu mudo de canal ou busco outras atividades como ler um livro por exemplo. Chega a ser patético as pessoas bradarem questões pertinentes a preconceito, aceitação, enfim e trazerem sempre implícitas em seu discurso manifestações preconceituosas. Eu sou negra faço luzes e mechas no cabelo porque gosto, não generalizo o funk porque gosto de algumas músicas do gênero, assim como não sou obrigada a dizer que gosto de escritores e cantores cânones da literatura e música brasileiras, só para parecer ser intelectual e por aí vai.... Sinto-me livre e me permito desfrutar daquilo que a vida me oferece de melhor como você citou de acordo com minhas convicções intelectuais, filosóficas e espirituais, mas sem pisar, humilhar, ou denegrir a imagem e o caráter das pessoas. Um óculos, um cabelo pintado , uma roupa extravagante não determinam literalmente quem uma pessoa é
      Um abraço cordial Jandiassy
      .

      Excluir
    5. Eu sou negra e não me envergonho de nada! Isso que vc chama de "raizes" é oq o sistema colocou na sua cabeça que nós deveriamos nos orgulhar. Eu tenho orgulho de ser inteligente, culta, falar bem, ler livros, ouvir boa musica e ser educada. Isso tbm é ser negro.

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Descordo ...Pra mim o autor dessa postagem não quer ser comparado com o estereótipo dos negros brasileiros,se não quer ser comparado é porque se julga superior, ISSO SIM É PRECONCEITO! Sou negra, estudante de engenharia da USP, não sou funkeira, nem tenho cabelo extravagante... já assisti o programa e achei bem divertido!

    ResponderExcluir
  12. Triste isso,por isso mudo de canal pois acho um atentado a família e os bons costumes!!!

    ResponderExcluir
  13. Esse texto estabelece um conceito de cultura bastante anacrônico. Uma pena...

    ResponderExcluir
  14. Quem não gostou do texto não entendeu mesmo o que o autor quis dizer! sou negra,moro em uma comunidade do Rio e nem por isso gosto de roupas curtas,funk abusivo,gírias etc... sou normal,como acho que tenho que ser! Adorei a postagem.....,,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Nicinha, parece que tem gente que não sabe ler...

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  15. Muito bom o texto, adorei, sou negro, moro em comunidade e nem por isso saio falando palavras de baixo calão ou escutando merdas como o funk, se as pessoas acham que " Buceta no pau ... " ou " Senta com a xota prendendo meu pau... " , apologia ao tráfico, difamação da mulher entre outras atrocidades, é cultura, precisa rever os seus conceitos.

    ResponderExcluir
  16. Rapaz "O programa reforça o estereótipo dos negros brasileiros como indivíduos suburbanos, subempregados,". Isso não é bem preconceito, as pesquisas dizem que a maior parcela de pobres e moradores de favelas são negros. Isso não é preconceito, é fato. Isso é culpa nossa (brancos), que trouxemos vocês obrigados de outro continente e quando liberados, não receberam auxilio nenhum.

    Agora, concordo plenamente que usar desse argumento para criar um estereótipo (negros favelados, que escutam funk etc...) para todos os indivíduos desse grupo é um preconceito gigantesco.

    ResponderExcluir
  17. Nao concordo...pois vejo o programa como um programa que mostra a realidade brasileira... e é um programa sem frescuras ( glamour) bem povão... Tem muitos negros, se fosse racista nao teria... ai fico pensando...se o programa nao tivesse negros com certeza alguem iria dizer que é racista por nao ter... vai entender neh!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vocênao soube interpretar (novidade?) É racista por inferiorizar os negros, os colocando sempre como baixos, pobres, lascados, favelados, dignos de mal gosto musical... é um preconceito velado

      Excluir
  18. falou tudo, concordo totalmente com você.

    ResponderExcluir
  19. Não acho que o programa seja racista, pelo contrario,um programa popular ele mostra parte da realidade da sociedade Brasileira e tenta mostrar sua cultura de uma forma alegre e descontraida,quem nao gosta desse tipo de manifestação tem a opção de procurar aquilo que mais lhe agrada, no caso da pespectiva de vida acredito que cada um deve lutar pelo que acredita e dar o seu melhor, não é um programa de entretenimento que vai fazer isso por ela!!!

    ResponderExcluir
  20. Já ouviu falar no Soul Train? Era racista o programa também? Não curto TV, logo não consumo o Esquenta. Controle remoto serve pra isso. Turn it off.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que por mais que o branco tente nunca vai conseguir ter o molejo foda da "soul music".

      Excluir
  21. verdade mais fazer oquê né não se pode se espera muito quanto o assunto é o Brasil

    ResponderExcluir
  22. já pensou se esse programa fosse no tempo dos escravos no Egito e dissessem pra moisés: Pô cara vc é preconceituoso, essa á a nossa realidade, se vc não gosta daqui e do jeito que a gente vive vai pra judéia já que a cultura deles é melhor que a nossa.
    Tem que mudar essa porra de cultura sim, sou negro fui aprovado em primeiro lugar na faculdade pública, ouço Pink Floyd e Bethoven, quase gozo quando um cara acha que preto só conhece sobre cerveja e pagode e eu quebro ele na filosofia e astronomia, esse programa é um lixo, assista essa merda se quiser mas não venha dizer que ali é o retrato da periferia, por que o retrato da minha periferia pinto com cultura e conhecimento, nunca fui pobre, sempre fui sem grana, pobreza é o estado de espirito de quem se diverte com o esquenta

    ResponderExcluir
  23. Meu Deus!!
    Isto cada vez está pior...
    Namasté.

    www.contramatrixpt.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Os programas da Regina Casé tem todos essa mesma característica: dizer que legal é ser pobre, ser nordestino e morrer de fome ou morar na favela e escutar funk e que se você não faz parte dessa parcela da população você está errado. Ela tenta fazer que pessoas que tem um emprego digno, que trabalham ou nao de sol a sol, que moram em seu apartamento ou casa com um terreno comprado e não invadido estão errados, pq afinal, aqui é o país de gente alegre e gente alegre nao tem tempo de batalhar. Há anos não vou com a cara dessa mulher.

    ResponderExcluir
  25. Esse texto sim é racista. Contraditório em vários pontos, chama atenção pelo título absurdo e o conteúdo não se explica. O Esquenta faz justamente o contrário, valoriza e dedica todo o tempo do programa a pessoas fora do esteriótipo da tv.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo , eles valorizam aquilo que as pessoas egocêntricas e preconceituosas julgam como ridículo . O Esquenta quebram os padrões de beleza imposto , como diz o autor do post , que as meninas de lá nunca serão capa da Marie Claire , ora que contradição , isso sim é preconceito !

      Excluir
  26. A beleza ou a feiura está nos olhos de quem vê! Não concordo com todo texto e também não gosto do esquenta! Porém vejo como um programa que não me agrada por minhas escolhas musicais e culturais! Só acho estranho esperar de um program destinado a massa uma erudição que nunca ira sair dali! Acho que o amigo que escreveu o texto perdeu muito do seu precioso tempo analisando uma coisa que não lhe agrada! Poderia ter visto a TV Cultura ou lido um ótimo livro! O problema aqui nesse país é educação, saúde, moradia e emprego! Abraços Wagner - Santos/SP

    ResponderExcluir
  27. É pessoal! o mundo pensa assim...Quando se fala de negros,pensam em favelados,quando se fala em Paraiba,as antas pensam em miséria,gente feia.Agente vai fazer oque?Só lamentar né,mentes vazias é dormida do diabo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é só lamentar não Carminha,temos que falar, e falar até que alguém ouça,se ficar calado ninguém vai ouvir nossa voz, eu também tenho minha cota nesse mar de ignorância,sou estudante universitária, tenho 42 anos, sou gorda, pobre e goiana, quando falo onde eu moro, as pessoas me veem como se fosse um peão, nada contra os peões, montada em cima de um boi, os meus conhecimentos, a minha trajetória de vida não diz nada a eles, e o pior quando digo que detesto música sertaneja então,ai sim,o preconceito é maior ainda, as vezes eu me canço de tentar me fazer entender, por que eles pensam que goiano é povo preguioçoso, e que passa o dia pescando e ouvindo Leandro e Leonardo. Aff, é terrivel, mas eu não me calo falo mesmo. Prest atenção, gente, sou de Goiás e não sou bicho do mato, e tem mais é G_O_I_Á_S e não goiais,como muita gente fala.

      Excluir
  28. A pessoa que escreveu a matéria acho que não se enxerga e vê que é um preconceituoso. Deus nos criou para sermos o que somos para ser feliz com o que nos alegra. Você reclama tanto dos costumes gírias de tudo e não vê que e um hipócrita, você tem seus costumes, eu não vou la ficar torrando a porra do seu saco por eles. Deixe cada um ser feliz da forma que se é melhor, porque o rapaz que curte funk"eu gosto de funk" tem que ser um burro, não pode ter um formação? a cara você e mais um bando de milhões no planeta destrói nossa raça para mim você é muito inferior aos que você acaba de se referir, estilo de vida, modo de se vestir não julga caráter ou inteligência agora a porra do seu tapa olhos sim. Acorda pra vida ou vai viver la no tempo dos nazistas talvez o seu alemão ao qual se referiu sirva para alguma coisa, você falou falou falou e apontou o verdadeiro errado. Você mesmo e pessoas com o mesmo pensamento do seu.
    Vai cuidar da sua vida vai porque nem pra zé povinhar a dos outros você presta.
    RENEGADO

    ResponderExcluir
  29. Detesto esse prgrama, ele faz com que as pessoas achem que a vida é só aquilo, que nada mais importa, que ser feliz é viveer onde vc.nasceu e nunca,mas nunca mesmo tentar ser diferente. Mas essa é a cara do Brasil que eles querem mostra,pro mundo,afinal, a copa do mundo vem ai, e o obejetivo é atrair os turistas, porque vc.acha que o programa mudou de horário, justamente,porque ele começava na hora em que o povo está na mesa almoçando, então vamos por no horário que está todo mundo relaxado, pra ouvir mais besteira. Já viu quanto artista e turista estrangeiro tem vindo ao Brasil pra ver favela, não tenho nada quanto as favelas e nem contra o povo que vive lá, tambem sou pobre, mas o que eles querem nas favelas são duas coisas, veem atrás da putaria que a tv mostra, ou então se promover lá fora. Bando de idiotas, os de lá e os de cá também....

    ResponderExcluir
  30. Eu discordo. Acho que o programa é inclusivo, mostra a realidade da periferia e também mistura brancos.
    Em contra partida, sou negro e não de identifico com o programa. E realmente o estereótipo que ele passo do negro é isso: funkeiro, sambista, que mora na favela...
    Agora, veja aquela novela "Amor à Vida". Quantos negros tem? Nenhum. Isso sim é um absurdo, não pq tenha que ter negro em novela mas sim pq na realidade, na vida real os negros (nós negros) estamos em toda parte.

    ResponderExcluir
  31. Discordo totalmente, o texto beira a ignorância, quase que uma generalização de esteriótipo. Entendam uma coisa, CULTURAS são LINEARES! Essa ideia de que negro usando cabelo loiro, roupas extravagantes e dançando, ser algo ~marginalizado~ estereotipado de periferia é pensamento neo colonialista, o mesmo tipo de pensamento que o sul manifesta em relação ao nordeste, o mesmo que a bancada evangélica usa para subjugar a comunidade LGBT e, o mesmo que os europeus tiveram quando chegaram no Brasil a mais de 500 anos atrás e tentaram impor sua cultura e religião sobre a comunidade indígena. Se você é negro e se sente desconfortável com a imagem que o programa vende, aconselho a estudar mais e entender que em questão de cultura, não existem culturas melhores ou piores que outras, como já disse, são lineares. Inclusive, já tive preconceito com funk, mas a mesma ideia que se aplica a defesa da diversidade sexual, também pode ser aplicada a musica, isto é, se não gosta de gays, não case com um, da mesma forma que se não gosta de funk, não escute, se você é negro e desaprova a o tipo de imagem que o texto crítica, não seja esse tipo de negro, é muito simples.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, será que culturas não podem ser melhores que outras?

      Se vc fosse um judeu na Alemanha pré-2GM, numa cultura onde judeus e outras minorias eram perseguidos apenas por serem judeus, podendo perder seus bens e sua vida ao bel prazer de outros, acharia uma cultura que não pode ser julgada melhor?

      Ou se vc fosse uma menina de 8 anos, do oriente, vitima de estupro e prester a ser morta a pedradas pela família, por que claramente meninas vítimas de estupro são culpadas pelo crime e não valem viver, vc consideraria a cultura deles boa?

      Ou se fosse um brasileiro desbravador, ao encontrar uma tribo de canibais e não acharia a cultura de devorar estrarnhos ruim?

      Algumas culturas são, sim, piores que outras.

      E a cultura do malandro, do vagabundozinho, da periguete de morro, culturas do esperto, cultura do "Eles nos roubam, nós roubamos deles", não me parecem tão inatacáveis assim.

      Excluir
  32. Concordo em partes, mas creio que o texto em si já é um certo preconceito, exatamente pelo autor (e também algumas pessoas que comentaram aqui) se acharem superiores em relação aos negros que se apresentam no Programa.Sendo bem ou mal, o Funk é uma cultura da periferia,da favela e aí o pessoal condena isso!?Senti que os negros da periferia que aqui comentaram sentem vergonha de seus vizinhos pelo fato de usarem roupas curtas,falarem em gírias,terem cortes de cabelos extravagantes e ouvirem Funk.Isso não é preconceito? O Programa retrata a periferia e o pessoal não gosta! Se o programa falace apenas de Playboy e Patricinhas nas Baladas seria alvo de críticas também! Se a pessoa fica alienada por que o programa faz isso com ela, é por que essa pessoa não merece o sucesso, não tem forças para lutar e correr atras dos seus sonhos, pois do contrário, se a pessoa tem garra, determinação e vontade, não é um programa qualquer que irá fazê-la acomodar-se.Ultimamente a Rede Globo está chamando o Povo de Burro e o Povo aplaude cada vez mais este ato, sem se dar noção do quanto estão são idiotas.

    ResponderExcluir
  33. Realmente este programa e ridiculo, so de ver a propaganda ja da nojo nao por racismo. e porque e ruim mesmo. principalmente que ela diz que todo brasileiro gosta dessas musicas de mal gosto.

    ResponderExcluir
  34. Isto aqui, ô ô
    É um pouquinho de Brasil iá iá
    Deste Brasil que canta e é feliz,
    Feliz, feliz,

    O sistema de castas foi observado na Grécia antiga e na China, mas a Índia foi onde esse sistema se expressou de forma mais completa.
    A sociedade indiana começou a se organizar em castas e subcastas há mais de três mil anos, adotando uma hierarquização baseada na religião, etnia, cor, hereditariedade e ocupação. Todos esses fatores são levados em consideração para definir as castas.
    Esses elementos definem a organização do poder político e a distribuição da riqueza gerada pela sociedade.
    Esse sistema foi abolido oficialmente em 1950, mas sobrevive pela força da tradição. Na medida que o capitalismo avança na índia, o sistema de castas se mistura ao sistema de classes e vai se desintegrando aos poucos.

    ResponderExcluir
  35. Achei o texto maravilhoso e mega entusiasmante. Confesso que nunca havia pensando por este ponto de vista, sempre achei o programa interessante pelo fato de ''misturar'', mas a algum tempo havia notado um certo preconceito. No dia em que o cantor Thales fez uma participação foi visível os milhares de cortes na pequena parte em que ele tinha a atenção, mas achei que isso fosse apenas impressão. Isso chama mais atenção para nossas mentes manipuladas pela Tv brasileira, esse lixo de programação é tão frequente que estamos nos acostumando a viver com a falta de informação construtiva. Por todos os lados somos bombardeados por mulheres semi nuas, homens musculosos, crianças que requebram até o chão como se fossem adultos maduros e todos com o cérebro do tamanho de um grão de mostarda. Infelizmente esse é retrato do lugar onde vivemos, onde pessoas ignorantes e alienadas são o centro das atenções. Certamente isso é muito bom para o país porque assim fica muito mais fácil para os nossos políticos identificarem idiotas que se vendem por um caminhão de areia.

    ResponderExcluir
  36. texto perfeito ,infelizmente nem todos conseguem enxergar essa sua percepção ,curti muito parabéns .

    ResponderExcluir
  37. Sinceramente eu acho esse programa um porcaria, sem proveito nenhum!

    ResponderExcluir
  38. Não acho que por que não sou daquele jeito (sou negro, não pinto o cabelo e abomino óculos escrotos!), dos meninos do esquenta, não exista aquela cultura. E acho que seria horrível se a Casé colocasse todo mundo de terno, num auditório, escutando Chopin. Me poupem!!! A favela é daquele jeitinho mesmo. E daí, não pode?
    Continue, meu caro, abusando do seu direito de desligar a TV. E não se incomode se algum negro quiser gostar de funk, samba e água oxigenada. Você não precisa ser igual a eles, mas eles têm direito de ser do jeito que quiserem.
    Eu detesto o Esquenta, mas defendo que ele continue a incomodar!!!

    ResponderExcluir
  39. Concordo em alguns pontos do texto,mais na minha opinião o programa só quer dar oportunidade para as pessoas que a mídia esconde. Mostra que a pessoa pode ser preto, pobre e feliz como qualquer outra pessoa. E não vejo problema nenhum de usarem roupas curtas e um cabelo diferente, pois isso não forma caráter de ninguém, tem muita gente por ai que se diz culta usa roupas comportadas e na verdade são pessoas ruins e pobres de caráter.

    ResponderExcluir
  40. o texto não tenta dizer que o estereótipo mostrado esta certo ou errado, ele tenta chamar a atenção para a existência de outra face da moeda e o desprezo dela, mostra que não é só uma limitação do programa, mas uma vendo do mais conveniente. A questão não é, se o julio cesar é racista ou nao, textos são para pensar, para te fazer chegar a conclusões de assuntos e não de pessoas.

    ResponderExcluir
  41. audiência esse é o nome, audiência gera dinheiro, querem alcançar esse publico para ganharem dinheiro. Sou publicitário, e qdo faço uma pesquisa de mercado escolho programas de acordo com o publico do produto, neste caso a globo coloca o programa esquenta como mais uma opção para nós anunciantes divulgar durante o programa, mais uma forma de conseguir um publico diferente, gerando investidores diferentes... me diga algum programa que explora esses problemas de comunidades com humor e ênfase? pois é, atualmente esta difícil falar um, é mais uma fatia de telespectadores que a globo conquista.

    ResponderExcluir
  42. Sei lá, só acho que virou MODINHA dizer que tudo é racismo. Se não tivesse o programa, isso seria Racismo Também. Amigo, Cotas nas universidades para baixa renda existe porque a maioria de baixa renda não consegue estudar em escolas particulares. A cota das escolas públicas, existe pois quem estuda em particular tem um ensino mais aprofundado, e teoricamente de maior qualidade. E a cota de negros? Não fica subentendido que uma raça seria superior a outra? Negros e Brancos tem a mesma capacidade intelectual, sem divergências. Mas dessa cota ninguém Reclama! Não defendo a Globo, mas por favor, sejamos um pouco menos dramáticos... Eu vejo o programa como um grito, pra realmente mostrar que Negro e Branco são iguais, convivem ali, todos. Mas cabe a dica de que não apenas negros como funkeiros, pagodeiros e tudo mais, nisso eu concordo, deveriam haver brancos também. Ou Melhor, nem haveria de existir essa "contagem" pra equilibrar a quantidade de raças no programa, isso também seria racismo. Abraço!

    ResponderExcluir
  43. o autor está vendo preconceito onde não existe, aliás, o tão falado preconceito está na própria mentalidade dele.
    Justifico, o esquenta é um dos poucos programas da rede Globo que me acrescentam algo, de um jeito diferente, mais divertido, mas sempre acabo aprendendo algo nas minhas tardes de domingo.
    Quando o autor diz que abusa do direito de desligar a TV, dou todo apoio, cada um é livre pra assistir aquilo que mais lhe agrada, porém, se eu não souber muito sobre um determinado assunto, não me vejo no direito de opinar ou criticar o mesmo.
    O esquenta tem seu lado humor onde mostra indivíduos esteriotipados sim, afinal é a realidade de uma grande maioria, porém no decorrer do programa nos deparamos com outras realidades, acredito que é muito válido mostrar os dois lados de uma mesma moeda como no programa da semana retrasada onde tivemos os policiais das UPPs e um juiz bem astututo de um lado e do outro pessoas que cometeram crimes no passado e haviam se regenerado para batalhar em cima de uma causa maior, é legal ver essas pessoas interagindo, tentar entender o que passa na cabeça de cada um deles provocando uma certa empatia no telespectador.
    Quando o autor diz que o esquenta "ordena" “É isso, dancem, cantem, divirtam-se. Mas não saiam do seu lugar” vai muito do ponto de vista, duas pessoas distintas lendo o mesmo texto podem obter interpretações completamente distintas, e o mesmo acontece com o Esquenta, para você pode transmitir uma mensagem de estagnação, agora para mim mostra que mesmo vindo de origens pobres podemos batalhar e chegar a ser como o juiz Odilon de Oliveira, que mesmo sendo de origem muito pobre hoje se tornou uma figura super importante para o futuro do país.

    ResponderExcluir
  44. Pura Verdade, é uma pena cara, ver a juventude agindo de forma tão alienada, sem pespectiva nenhuma de vida, nunca gostei desse programa e sempre achei ele racista, comentava com os outros e discordavam mas sem apresentar argumentos plausiveis, velho, eu sou branco, mas descendente direto de uma mãe negra, a qual amo muito, tenho genes africanos, franceses e judeus em meu sangue, com muito orgulho, moro no suburbio, ouço rock, tenho 19 anos, estudante na ufba(universidade federal da bahia), não sou rico, pelo contrario minha familia passa por varias dificuldades só pra termos o que comer todo dia, e na escola eu era tratado diferente pelo simples fato de eu ser branco e entre os homens o único que tirava notas boas, vai entender....

    ResponderExcluir
  45. lendo os comentários ficou bem clara a falta que faz um ensino médio bem feitinho...a interpretação de texto da maioria é lamentável
    "ah, mas eles mostram um estilo fora do normal, isso não é preconceito..."
    Exatamente esse objetivo, mostrar que o negro é isso, e não vai passar disso.
    é quase como um "VAI LA MACACADA, ASSISTAM 2H DE SUAS VIDAS MISERÁVEIS PELA TV, VEJAM COMO VCS SÃO FELIZES ASSIM E.............. CONTENTEM-SE COM ISSO"

    Não sei em que mundo vcs vivem, mas ninguém vai evoluir assistindo isso, o programa só ajuda a manter os negros la em baixo, disfarçado de cultura.

    ResponderExcluir
  46. Parabéns, texto magnífico,é isso mesmo que esta emissora manipuladora faz,colocando cada um em seu lugar,fazendo com que as pessoas pensem que está fazendo o bem, mas na realidade está separando o "joio do trigo" assim como o governo faz com "bolsas famílias" "cotas raciais" entre outras ilusões que estes burgueses fazem para separar o "gado" dos "fazendeiros"vamos pensar um pouco fora da caixa !

    ResponderExcluir
  47. Bom, em primeiro lugar gostaria de dizer sobre o meu respeito pela opinião de todas as pessoas que postaram opiniões contrárias ao programa e dizer que em alguns aspectos concordo com o que dizem. Não podemos mais aceitar de forma acrítica tudo o que aparece na mídia, deixando que esteriótipos e preconceitos tenham protagonismo na formação de nossa subjetividade ou que afete e vá na direção contrária ao que realmente acreditamos. Porém, também lanço algumas questões, que confesso, fiz a mim mesmo quando li este texto. Aí vão algumas dessas questões:
    - Será que, ás vezes, temos dificuldades em aceitar que o que é mostrado no programa "Esquenta" é apenas a realidade que tentamos negar ferozmente todos os dias?
    - Será que esse programa apenas mostra o que as pessoas da periferia têm para mostrar?
    - Temos dificuldades em aceitar que o funk nada mais é do que uma forma de expressão da realidade dos indivíduos da periferia?
    - E quanto aos penteados e forma de vestir das pessoas que moram na periferia. Será que não são apenas a expressão do meio em que vivem e o que consideram belo?
    - Será que o que alguns consideram "bom", de "qualidade" ou "Cultura" têm significados completamente diferentes para indivíduos que foram criados em diferentes meios com diferentes interações e OPORTUNIDADES?
    - Nós consideramos a diversidade cultural ou buscamos em todos uma única cultura e único modo de agir?
    - Será que o programa "Esquenta" não oferece oportunidade para o negro aparecer de forma diferente na tv, longe dos papéis de escravos passivos ou empregadas obedientes aos senhores brancos?
    Enfim, lançaria ainda uma quantidade incontável de questões sobre esse texto, mas acho que o mais importante é tentarmos nos questionar se o problema maior é um programa de tv que mostra a realidade de acordo com seus interesses ou nos agarrarmos a conceitos fechados que limitam a compreensão da diversidade cultural, racial, econômica e histórica do nosso país. Como última questão lanço a que mais me incomoda:
    Aceitamos ser um país aonde existem diferenças raciais, de gênero, geração, econômicas e culturais gritantes ou preferimos esconder tudo debaixo dos panos e dizer que somos todos iguais ( HOMEM, BRANCO "EUROPEU", HETEROSSEXUAL, CLASSE MÉDIA E JOVEM)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita sua resposta! Sou negra, doutoranda em Estudos linguísticos, e também acredito que o povo brasileiro deveria pensar, principalmente, sobre a última questão que você coloca: Deve-se aceitar que o Brasil é um país aonde existem diferenças raciais, de gênero, geração, econômicas e culturais gritantes ou deve-se preferir esconder todos esses problemas debaixo dos panos e dizer que somos todos iguais: HOMEM, BRANCO "EUROPEU", HETEROSSEXUAL, CLASSE MÉDIA E JOVEM?
      Se escolher a última opção, é encobrir a realidade brasileira, consequentemente silenciar sobre a realidade do negro/pardo e da população pobre/da periferia/favelada.

      Excluir
  48. Pô mew, aprender alemão? ai forçou ehm, e quem disse que isso tornaria uma pessoa melhor, existem tantas outras linguas para aprender, Logo alemão (o pais do Hitler), nenhum preconceito mas para mim isso ficaria na memória a cada palavra aprendida ficaria lembrando disso, nossa estou aprendendo a lingua do meu perseguidor", aprender "culturas dos brancos"? isso é a melhor coisa?, tem certeza? Se você diz que é negro deveria ter orgulho "dessa gente", das nossas raízes, fala como se tudo de ruim fosse dos negros, e de bom dos brancos, isso que é racismo, por exemplo aprender falar lingua africana, seria uma nova lingua concorda? Deixa de ser hiocrita! aprender musica classica? é a melhor musica? digo que não, depende do gosto.

    ResponderExcluir
  49. Eu fico realmente triste com esse país onde infelizmente a mídia fala como se fosse a verdade absoluta e que nada pode contesta-lá, a globo está e creio que sempre promoveu esse tipo de racismo e ainda diz que o povo é que é racista, onde ela mesma prega uma coisa que muitas vezes não é verdade, é absurdo o que eles estão fazendo e continuaram a fazer se não protestarmos contra esse tipo de coisa...vamos sair as ruas colocar as verdades desse país a tona, a começar com o governo...

    ResponderExcluir
  50. eu sou negra também, vejo o programa, é divertido? sim, muito!
    O que mostra ali é a realidade dos fatos... agora considerando o fato de estarmos falando da "rede globo", claro que é manipulação pura gente! Não se trata de preconceito, se trata do governo não querer pessoas inteligentes, pessoas que estudem, por isso que, sempre eles vão dar um jeito de deixar o povo brasileiro "conformado" com a vidinha de um salário minimo por mês. Vão sempre deixar as pessoas mais "acomodadas" e "certas" de que (falando no popular) ser burro, ignorante é normal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma verdade o que você disse, acredito que pessoas que veem esse tipo de mentiras sendo pregada pela mídia mais manipuladora que existe, são eles é que pregam esse racismo ao qual falam tanto, isso é para por medo na cabeça de pessoas mais fracas, e abusam delas para obter o que eles querem. Como você disse precisamos estudar, não só nas faculdades, mas em casa não só vendo matérias docentes e sim abranger mais o nosso estudo, estudar sobre a política, e tudo o mais, pois até nas universidades estão manipulando os alunos...

      Excluir
  51. Assisti um vídeo de um grupo de homossexuais chamado Gangue das bonecas, através da apresentação pode-se ver o preconceito dos pagodeiros e convidados do programa em relação ao grupo e eles dizem que há uma diversificação no programa.

    ResponderExcluir
  52. Não concordo com tudo.
    Não inferioriza o negro, ou a população de baixa renda. Querer que eles consumam o mesmo tipo de musica que eu consumo porque é melhor sim, além de indicar uma boçalidade enorme indica uma antropofagia ridícula – pensei que isso já tivesse sido superado
    ”Sei que há muitos caras e moças como eu. Muitos são poliglotas, outros gostam de música clássica, vários gostam mais de livros do que de pessoas”
    Isso é preconceituoso – porque sem conhecer a fundo as pessoas já as julgo pelo meu nível do que acho cultural. Houve um tempo em que o samba era assim.
    E muitas coisas ruins foram feitas, outras boas também. Mas o que é bom permanece.

    Achar que o programa inferioriza porque mostra os negros nas periferias é uma cretinice. Não inferioriza – reflete a realidade. E todos os programas de TV refletem uma realidade social mais ou menos posta – com as nuances que o interesse de quem produz o programa permite.

    O que se deve questionar não é a presença ou ausência de negros em programas de TV e o contexto disso. Deve-se questionar as oportunidades sociais de um sistema falido, que reproduz a miséria para se manter e que tem escolhido a dedo os atores dos cenários que mantém.

    ResponderExcluir
  53. Concordo com o autor, que por sinal escreve muito bem, mas vamos ser bem sinceros, quem iria assistir um programa sobre negros lendo livros, tocando violinos ou procurando um emprego no Itamaraty? O que a globo quer é audiência nada mais! ;)

    ResponderExcluir
  54. Quanta besteira. Infelizmente os revoltadinhos chamam a atenção. Novela é a coisa mais pobre de criatividade da TV brasileira, o resto é enlatado. Acha ruim? Muda, desliga, vai ler livro, etc.

    ResponderExcluir
  55. Não li em momento algum o autor dizendo que é superior a alguém, o que compreendi foi uma indignação por parte dele pelo fato de que o tempo passa, o contexto muda, mas os negros sempre são, de alguma forma, colocados na senzala novamente. Por que não mostrar negros bem-sucedidos? Por que não mostrar negros que fazem a diferença na sociedade? Por que não exibem uma reportagem sobre a carreira do Joaquim Barbosa? entendam que essa emissora sempre atendeu a interesses, assim ela surgiu e assim ela cresceu. Promiscua como ela sempre foi, sempre dançou de acordo com a música. Acham que o movimento "caras pintadas" foi um movimento que surgiu em reuniões da UNE ou de qualquer outra entidade estudantil? Surgiu de reuniões de empresas insatisfeitas com os bloqueios bancários feitos pelo então presidente "caçador de marajás", lembram disso ou a lobotomia realizada por essa emissora já deixou sequelas em seus cérebros? Vocês acham que as críticas pelas manifestações pela redução das tarifas do transporte coletivo tem fundamento? Essas críticas estão ocorrendo porque estamos às vésperas de um evento em que essa emissora investiu milhões pelo direito de transmissão, na Europa os confrontos entre a população e a polícia em manifestos contra políticos são elogiados por todos os comentaristas tupiniquins que acham que àquilo serviria de exemplo para nós, mas não hoje, não no meu quintal, não na minha festa! Enfim, esse debate é longo, e em quanto a alienação de massa estiver causando efeito vamos ter idiotas com comentários xulos, fracos e desnecessários por aqui.

    ResponderExcluir
  56. Sinceramente... sou negra, cursei uma faculdade publica, sou concursada, moro em apartamento, tenho carro e não sou favelada, mas assisto o esquenta pq dou muita risada com tudo aquilo, me divirto muitoooooo. Em nenhum momento considero que o esquenta influencia ou possa influenciar algo negativo na vida de ninguém. Assisto no domingo e na segunda feira pela manhã, meu filho vai par a escola e eu vou trabalhar. Pessoas, voces são aquilo que vocês desejarem ser. Vc está,onde vc quis estar. Se só por assistir o esquenta meus valores como negra se denegrissem diante da sociedade, pobre de mim. Gente, vamos assumir, o programa tem negros sim, cabelos duros sim, favelados sim e é exatamente isso que incomoda...negro incomoda seja lá em que posição social ele estiver. SEJA NEGRO E ASSUMA SEUS REAIS VALORES. SOMOS MAIORIA. PODEMOS DITAR NOSSAS PRÓPRIAS REGRAS E FICAMOS ASSIM, PREOCUPADOS EM SEGUIR AS REGRAS DA SOCIEDADE. E QUE SOCIEDADE RACISTA!!!! Fique na favela se quiser, se não quiser, suba outros degraus e faça o principal, INCOMODE!!!!! Até no senado o negro incomoda, imagine no dia a dia...

    ResponderExcluir
  57. Vixe! Quando Se Diz a Respeito, De Negros, Pobres e Favelados. a Oposição Ficam Meios q Chateados. O Programa, é Sim, Feito P/ Negros, Pobres e Favelados. Se Não Gostam, Vão Assistir Mulheres Ricas Na Band. Quando Eles Vê, Um Monte De Crioulos Juntos Na Tv , E Ainda Fazendo Samba, Acabam Se Incomodando Dizendo q o Programa é Altamente Racista. Isso Mostra a Cada Dia, Q Um Paiz Super Negro Em Sua População, Os Negros Não Tem Vez. Mais Tem Jeito Não, Vcs Vão Ter Q Nos Engolirem "Mornamente".

    ResponderExcluir
  58. Pensem o que quiserem. O fato é que soa meio estranho falar de negro no Brasil, onde mais ou menos 85% da população brasileira é afrodescendente. Os brancos que por algum momento zomba dos negros, todos os finais de semana ficam "pegando"uma cor, mas não conseguem, porque negro é raça, é não é papel de parede, tem brios e energia que matam a maioria dos brancos de inveja. Ainda mais com o molejo natural que tem. Podem tentar, mas o programa mostra a essência da cultura do país. Samba e Carnaval e, principalmente a inclusão de um contingente de pessoas que antes não existia nem sarjeta.

    ResponderExcluir
  59. Seja pago para ler e-mails! Ganhe dinheiro por cada e-mail lido e clicado. Ganhe mais dinheiro por cada e-mail que as pessoas que você indicar lerem. Inscreva-se já e comece a ganhar!
    http://www.e-mai.net/gauers

    ResponderExcluir
  60. Compartilho do mesmo direito que o seu. De desligar a TV. Só compensa assisti-la para se manter informado pelo jornalismo (mesmo que manipulado) e series (afinal, ninguém é de ferro né).

    ResponderExcluir
  61. Perdão, mas seu texto é tão ridículo quanto a moral do Banks perante os grafiteiros de Londres. Acho que o preconceito vem de VOCÊ ou a falta de cultura, não sei. Sou negro, formado em cinema, próximos aos 30 anos, não frequento baile funk, mas ja conheci muitas periferias. ODEIO essas pessoas que tentam pregar o superior, cult e pseudo-intelectual. Essas pessoas, da periferia ou gueto como você citou, sabem mais que você, que provavelmente não conhece "Banks", seus problemas diários.

    Facebook - Emerson Fox

    ResponderExcluir
  62. Não vou assistir um programa em que colocam um bandido, ex-chefe de tráfico no alemão à dois anos (Mister M) pra dançar com policiais militares FARDADOS. Isso não foi explícito ao público e o indivíduo não foi apresentado, mas ele estava lá. O vídeo se encontra na página do SOS PM.

    ResponderExcluir
  63. Não podemos dizer que todos os moram nas favelas não querem nada já que isso não é verdade. Moram lá porque não tem condições de estar em outro lugar. Existem pessoas maravilhosas nas comunidades e outras não tanto. Vivi 25 anos de minha numa favela do Rio de Janeiro e pude estudar e me formar. Há 7 anos sou professora de português em Buenos Aires e sinceramente não conheço outro lugar mais MARAVILHOSO como nosso país. Pude viajar por alguns países da Europa e sigo insistindo que o Brasil (e o Rio de Janeiro) e as pessoas são as melhores do mundo!!!

    ResponderExcluir
  64. Ninguém tem culpa de nascer favelado, alguns tentam mudar de vida, outros sequer têm essa oportunidade. E esse texto aí falou tudo, a globo parece ter um pacto com o governo, escondendo a sujeira embaixo do tapete pra mostrar que tá tudo bem.

    ResponderExcluir
  65. EU NÃO ACHO RACISTA PRIMEIRA MENTE ELA FAZ O QUE ELA BEM QUISER NO PROGRAMA DELA CORRETO E É VOCÊ QUE É RACISTA ELA FAZ BEM O QUE ELA QUISER EU ADORO ELA NÃO TENHO NADA CONTRA ELA ELA FALA DE TUDO E NÃO FAZ DIFERENÇA DE NINGUÉM QUALQUER UM PODE TER OPORTUNIDADE DE ESTAR ALI EM DIANTE EU ACHO NA MINHA OPINIÃO SOMOS TODOS IGUAIS CORRETO

    ResponderExcluir
  66. As novelas da Globo também fazem isso. Agora toda novela tem um núcleo na favela, com funk na trilha sonora e etc. Eles tentam nos convencer que a vida na favela é boa,que não é necessário mudar, que é cultura e etc. Assim, o governo não precisa dar moradia decente pra todos. ;) Não que a vid ana favela seja tão ruim, às vezes é até tranquila. Mas não é boa como em um bairro residencial de classe média, como alguns da Zona Norte do Rio. E na maioria dos países desenvolvidos, que têm bairros menos favorecidos, mas sempre com qualidade de vida...

    ResponderExcluir
  67. NÃO É EXAGERADO QUERIDO VOCÊ QUE TIRA DA SUA CABEÇA E EU ACHEI RIDÍCULO O SEU TEXTO TAMBÉM SOU TOTALMENTE CONTRA AGORA SE FOSSE BRANCOS VOCÊS QUERIAM QUE TIVESSE SÓ APENAS PRA SE APARECE EM DIANTE ISSO AI BRANCO QUERER SE APARECE MUITO NA TV NÃO ACHO JUSTO EU PREFIRO MESMO A REGINA CASÉ ELA NO PROGRAMA DELA DA VARIAS OPORTUNIDADES PRA VÁRIOS TIPOS DE GENTE

    ResponderExcluir
  68. q texto filho da puta...não curto mais vcs...vão se fuder preto éa puta q pariu vcs...preto écor,negro é raça...cada um se veste do jeito q bem entender,pois no final todos estarão a 7 palmos debaixo da terra...então FODA-SE VCS RACISTAS DESGRAÇADOS!!!!

    ResponderExcluir
  69. Eu particularmente acho que de programa/novela, seria uma novela que se passa no SBT que acho que se chama Carrossel, assisti 1 (um) episódio pelo fato de meu irmão assistir (ele tem 8 anos). Eu achei com um aspecto de generalização preconceituosa contra a raça e de níveis sociais.

    ResponderExcluir
  70. Não concordo nem um pouco com este texto!

    ResponderExcluir
  71. Eu acho que mesmo buscando uma opinião social sólida, estou no lugar errado. Existe gírias e "dialetos" em qualquer conjunto de pessoas, seja rico, favelado... Uma vez que você vive com um determinado grupo de pessoas, se dispõe a usar de palavras(seja dar novo significado ou criar novas)que não são utilizadas em outro lugar... Sotaque existe em todo lugar,e os nordestinos em especial sempre são os mais criticados por serem tachados com vândalos desde o início da república. Acho horrível pessoas que gastam o seu tempo vindo aqui comentar que odeiam favelados; já pararam pra pensar que a maioria dessas pessoas (inclusive eu,já que moro ao redor de uma comunidade em Salvador-Ba e me considero classe média baixa) simplesmente não têm acesso à boa educação por conta de sua cor de pele, ou de não ter boas condições financeiras como a maioria de vocês?! De certo que eu afirmo não me considerar nessa cota, já que me privo de certas coisas que acontecem por aqui(como as roupas minúsculas). Mas pensem bem no que falam, senti uma pitada de preconceito no texto e uma montanha do mesmo nos comentários.

    ResponderExcluir
  72. Aprender a falar alemão pq? Achei esse texto racista...
    E achei que você se envergonha dos negros do esquenta.

    ResponderExcluir
  73. Sou negra também, e acho aquele programa exatamente do mesmo jeito que você descreveu, pode até ter algumas coisas que se aproveita, mas esses "pontos positivos' se escondem em meio ao milhares negativos.

    Sou nega e Gosto de cultura de verdade. Não é cor que define personalidade, gosto, carater e muito menos modo de vida.

    ResponderExcluir
  74. sr° Marcos Sacramento, se voce comenta sobre o programa é porquê você assisti, para com isso seu idiota, ta com raivinha é ? por que o programa não representa pessoas do seu tipo.
    o seu texto e muitos outros que comentaram a favor de você, deveria pegar as suas malas e irem embora, vai para uma pais que só representa brancos, vai morar no polo norte seus imbecis.

    ResponderExcluir
  75. Eu mais que absolutamente concordo. Mas sejamos positivos, isso já esta mudando. Estamos vivenciando o momento em que o Brasil esta despertando. Tenho a esperança que seja a Luz do dia amanhecendo depois de um longo período de Trevas

    ResponderExcluir
  76. Não assistam globo, sbt, record, rede tv bandeirantes, etc... vão ler um livro, assistam a tv cultura!! não tem rabo preso a ninguém e não alienam as pessoas ideologia falsa, qual o benefício que estas novelas lhe proporciona, passem mais tempo com quem realmente importa que é a família!!

    ResponderExcluir
  77. Este desespero de querer fazer um local ficar a vista de todos a todo o momento só pode dar nisso. Eu simplesmente mudo de canal e não vejo, quando vi a primeira vez já percebi que era uma porcaria e não quero nada disso. Aquela molecada se contorcendo ridiculamente, musicas de 3º sentido colocando crianças para dançar 'até o chão' e ainda vem me falar que isso é cultura?? É o tipo de cultura que eu expurgo, e só serve para revelar que para essa mulher e a Globo "quanto menos, melhor", e é uma cultura feia, ponto final. Temos exemplos muito melhores como o professor do Piauí que fez seus alunos tornarem-se exemplo sem Matemática (no funk, a melhor matemática é o quadradinho de 8) e outros que existem por aí.

    ResponderExcluir
  78. Bom acredito que cada um escolhe o que quer ler e assistir, então de que adianta ficar ofendendo e criticando emissoras e pessoas independente das raças, é só não assistir, e pronto!!
    O programa não esta no ar a toa, deve dar ibope, e quem assisti é o povo, independe de raça e classe social!!

    ResponderExcluir
  79. Nossa, quanto exagero! O Esquenta é apenas um programa de TV, que visa o entretenimento. Só isso, nada mais.

    ResponderExcluir